O uso da tecnologia na urologia - Dr Mikael Vieira

O uso da tecnologia na urologia

O uso da tecnologia na urologia

A medicina tem sido cada vez mais revolucionada por novas tecnologias. Na urologia várias técnicas já são usadas para obter um diagnóstico mais preciso e tratamentos mais eficazes. Conheça algumas:

1) Robô cirurgião

O robô cirurgião foi testado pela primeira vez em 2006, nos Estados Unidos, e no Brasil em 2008, em uma cirurgia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

  • Como funciona o robô cirurgião?

O DA VINCI XI é o robô cirurgião com a tecnologia mais avançada do mundo. Com quatro braços de longo alcance, carrega em um deles uma câmera que exibe imagens em alta resolução, enquanto os outros são conduzidos pelo cirurgião, que comanda o procedimento de uma mesa de controle.

  • Quais as vantagens do robô cirurgião?

O robô possui movimentos mais precisos do que a mão humana, além de atingir locais em que a mão não chega. Também é possível obter menor perda de sangue, menos transfusão sanguínea, menos complicações, menor índice de estenose da anastomose uretrovesical, menos mortes perioperatórias e menor tempo de internação.

2) Diagnóstico do câncer de próstata pela urina

O professor da área de Química Analítica da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Frederico Garcia Pinto, registrou a patente de uma nova ferramenta para diagnóstico do câncer de próstata com a utilização apenas da urina do paciente.

A Segmented flow Mass Spectrometry for Rapid biomarker Screening of Prostate cancer and its disease progression, tem como objetivo possibilitar o diagnóstico e monitoramento da progressão do câncer de próstata.

A patente foi registrada em parceria com pesquisadores do College of Medicine da University of Florida/Gainesville no Estados Unidos.

3 ) Videolaparoscopia

A cirurgia prostatectomia, é considerada em grande parte dos casos de câncer de próstata e de hiperplasia prostática benigna (HPB – crescimento anormal da próstata). Com o avanço da tecnologia, atualmente é possível realizá-la por meio de procedimentos não invasivos, como as chamadas videolaparoscopias.

Com esse procedimento o paciente sente menos dor no pós-operatório, a recuperação é mais rápida, e satisfatória chances de cura como na cirurgia convencional.

Todas estas tecnologias vêm sendo usadas para melhorar nossa prática, possibilitando mais segurança e qualidade de vida para os pacientes.

Gostou do conteúdo? Continue acompanhando o blog para saber mais.

Open chat
Precisa de ajuda?